O Bebê, a nova comédia de terror da HBO

1/1 · Por HBO

Natasha encontra inesperadamente um bebê sem desejá-lo e tenta se livrar dele. Veja quem é esse bebê manipulador, mas adorável.

O Bebê, um autêntico demônio com rosto de anjinho

Fazer comédia partindo das estruturas típicas do terror pode ser fácil: basta você parodiar esses lugares-comuns, que não vai causar medo, mas risadas. O processo contrário é que acaba sendo muito mais complexo: contar uma história terrorífica com momentos de humor negro, sem isso significar fazer uma sátira ou zombar do gênero. Atingir esse equilíbrio é realmente difícil, porque quem consegue fazer isso está produzindo terror de verdade, isto é, procurando fazer com que o público fique realmente assustado com aquilo que deve ser assustador, mas que dê risadas com as situações que devem ser engraçadas.  Aí é que temos uma comédia de terror, sim, mas com a parte do terror sendo verdadeiramente terrorífica. 

O Bebê (The Baby) faz isso de maneira magistral. A minissérie, com oito episódios de ritmo trepidante (de meia hora cada), deixa claro, desde o primeiro episódio, que o terror não vai ser brincadeira, mas que você, em alguns momentos, não vai saber se rir ou ficar com medo... ou as duas coisas!

Esse jogo de sensações é inevitável: Natasha (Michelle de Swarte) é uma moça descrente que não se sente muito à vontade com a maternidade das amigas (acha que isso pode levá-la à solidão) e reage diante dessa situação com um humor particularmente ofensivo. Em segundo lugar, a série inclui um bebê fofo, muito simpático, que desde o início deixa tudo de ponta cabeça: chega a ser insólito... e terrorífico. O anjinho é lindo, sim, mas tudo aquilo que acontece à sua volta trágico e demoníaco, por assim dizer. É uma criancinha sorridente, de expressões fofas, adorável, mas, ao mesmo tempo, é uma criatura esquisita, que vai deixando uma trilha de morte e escuridão.

Participam do elenco também Amira Ghazalla, Genesis Lynea, Amber Grappy, Sinéad Cusack, Seyan Sarvan e Tanya Reynolds, entre outras.

Tanya Reynolds vem de Sex Education (2019 - 2021) e aqui encarna Helen, uma personagem do passado que tem muito a ver com a origem do bebê. Seu papel também coloca em perspectiva alguns de atualidade, como o feminismo e a opressão social das mulheres, especialmente das lésbicas.

O Bebê foi criada, produzida e escrita por Lucy Gaymer e Sian Robins-Grace. As duas trabalharam juntas em Sex Education. Gaymer, por sua vez, trabalhou recentemente como supervisora de trilha sonora em Fleabag (2016 - 2019), o que já dá uma ideia do tipo de humor que a série vai ter. Foi também produtora do filme Homebound (2020) e da minissérie documental True Horror (2018), isto é, ela já tem experiência com o gênero do terror: Homebound é um filme de terror.

O Bebê é uma minissérie muito divertida, direta, eficaz (os episódios, como dissemos, duram somente meia hora, e são apenas oito) e o grau de emoção e tensão vai aumentando a cada novo episódio.  O equilíbrio não está só na relação entre terror e humor, mas também nos temas de atualidade que a série trata (feminismo, lesbianismo, espiritualidade, maternidade e adopção). O resultado é uma série divertida, impactante e, em simultâneo, à par das questões contemporâneas.

 

O Bebê, uma grande comédia de terror que você pode curtir desde já, pela HBO!

  • Copiar Enlace