The Lady and the Dale: Uma Mentira Sobre Rodas – Uma História Real

8/2 · Por HBO · Leitura de5 min.

Conheça a história de Liz Carmichael, a mulher trans que abalou o mundo automobilístico nos anos 70 nesta produção dos irmãos Duplass.

The Lady and the Dale: Uma Mentira Sobre Rodas. A Mulher Que Revolucionou o Setor Automobilístico

Existe uma certa poesia nas coisas inusitadas, uma espécie de revelação do mundo. No primeiro manifesto surrealista, o poeta André Breton já destacava que os versos mais interessantes nascem da união de palavras ou imagens opostas. Quando ocorre na literatura, isto é apreciado, mas quando acontece na vida real, parece ainda mais mágico.

A HBO traz The Lady and the Dale: Uma Mentira Sobre Rodas, uma minissérie original em quatro episódios. Esta minissérie documental conta uma história que demonstra como a vida guarda mais surpresas do que podemos imaginar. É na ruptura do cotidiano, na crise da nossa existência, que surge o que poderíamos chamar de milagre do inusitado.

A série se passa, precisamente, durante uma crise. Em 1973, a Organização dos Países Árabes Exportadores de Petróleo tomou a decisão de não vender petróleo aos países que haviam apoiado Israel na guerra do Yom Kippur. Assim aconteceu a chamada crise do petróleo dos anos setenta, e pela qual a economia dos Estados Unidos foi bastante afetada, por ser um dos países que apoiaram Israel.

É dito que as grandes crises trazem consigo grandes oportunidades, e foi isto que Geraldine Elizabeth Carmichael viu. Liz Carmichael, como ficou mais conhecida, era uma empresária que afirmava ter se formado em engenharia mecânica. Por um tempo, ela havia recrutado inventores por meio de uma empresa financeira, e em certo momento ela tomou conhecimento de um projeto do engenheiro Dale Cliff. O projeto dizia respeito a um carro de três rodas que, sendo mais leve, consumia menos gasolina.

 

Um carro incrível

Rapidamente Carmichael criou a empresa Twentieth Century Motor Car Corporation, começou a promover seu veículo e a buscar fundos para financiar a fabricação dos carros Dale. Ela era uma mulher carismática e toda a mídia, fascinada, começou a noticiar seu feito. Johnny Carson, famoso apresentador de televisão norte-americano, falou sobre o assunto no The Tonight Show, e Liz foi entrevistada pela Newsweek e pela People Magazine. Liz se tornou tanto uma heroína na crise do petróleo, como uma figura que abalaria os impérios Chevrolet e Ford. Então lá estava ela, uma mulher em um mundo masculino, onde um magnata como Henry Ford era a figura arquetípica do poder automotivo.

Logo, como era de se esperar, as investigações começaram. Foi rapidamente descoberto que Liz Charmichael não tinha licenças da indústria do estado da Califórnia e provavelmente estava vendendo carros que não existiam e não existiriam. Os investigadores descobriram que os supostos escritórios onde os carros Dale foram projetados não estavam ativos e que os hangares alugados para os fabricar estavam completamente vazios. Em seguida, os quatro ou cinco veículos que a empresa apresentara foram completamente revisados: todos construídos com materiais baratos e não passavam de carcaças. Alguns nem sequer tinham motor. De acordo com o que se conta, apenas um funcionava.

A resposta de Liz foi a fuga, mas ela foi posteriormente capturada e levada a julgamento. Fugiu enquanto esperava o veredito final em liberdade e ficou foragida por alguns anos, até que foi capturada novamente em 1989. Na época de sua recaptura, ela estava morando em uma cidade chamada Dale (uma estranha coincidência), passava seus dias lá como vendedora de flores e vivia tranquilamente com seus cinco filhos.

 

De Liz à Jerry

Questões ainda mais interessantes surgiram com a descoberta do golpe. Soube-se que Liz Charmichael havia nascido Jerry Dean Michael, e que durante anos foi procurada pela justiça por ser uma vigarista e trapaceira, no melhor estilo de Frank Abagnale Jr, outro famoso malandro da vida real que Spielberg retratou em Prenda-Me se For Capaz (2002). Jerry era casada e tinha cinco filhos, mas faltava-lhe um lar fixo, porque as constantes fraudes faziam com que precisasse estar sempre fugindo. Além disso, aparentemente, ela não estava satisfeita com quem ela era. Um dia, ela disse a seus filhos que eles agora teriam duas mães. Naquela época, ela havia iniciado um tratamento hormonal e passaria a ser conhecida como Geraldine Elizabeth. Sabe-se que isso ocorreu cerca de oito anos antes do golpe de Dale. No entanto, as autoridades presumiram que ela havia mudado de sexo para escapar ou enganar a justiça, que isto era mais uma mentira.

The Lady and the Dale: Uma Mentira Sobre Rodas não tenta inocentar Liz, mas mostra como seu caso foi tratado com mais severidade e falsa moralidade por se tratar de uma pessoa trans. Seu julgamento foi um dos mais longos da história criminal de Los Angeles e teve como foco não apenas seu crime, mas também sua identidade de gênero, como se isso também fosse um crime. Consequentemente, Liz se tornou uma espécie de antecessora na luta pelos direitos dos transgêneros.

 

Um ser humano complexo

Embora o documentário não a apresente como uma pessoa exemplar, ele nos apresenta Liz como uma ser humano complexo. Criminosa, mas também uma pessoa buscando se compreender melhor. Vemos também como ela se relacionava com seus filhos, antes no papel de pai e depois no papel de mãe. Isto só é possível pela presença de seus filhos no documentário, que aceitaram contar a história da mãe após diretores e produtores ficarem dez anos tentando convencê-los.

The Lady and the Dale: Uma Mentira Sobre Rodas é dirigido por Nick Cammilleri e Zackary Drucker, este último um artista transgênero que produziu duas séries sobre o assunto: Transparent (2014-2017) e This is Me (2015). Tanto Cammilleri quanto Drucker assumem a direção pela primeira vez. A produção, desta vez, é dos irmãos Mark e Jay Duplass, ambos vencedores do Emmy. Jay produziu a série de sucesso Wild Wild Country (2018) e também Transparent. Mark foi produtor executivo de Wild Wild Country, bem como dos filmes de terror Creep (2014 e 2017), Horse Girl (2020) e da magnífica série Room 104 da HBO (2017-2020).

The Lady and the Dale: Uma Mentira Sobre Rodas é uma minissérie imperdível. Confira agora exclusivamente na HBO e na HBO GO.

  • Copiar Enlace

Assine a HBO

Não fique de fora. Aproveite a programação do momento.

Eu quero HBO!