De volta ao Jardim de Bronze

1/1 · Por HBO

O Jardim de Bronze, a série de sucesso da HBO América Latina, foi, antes de ser uma história para a televisão, um romance. Mas veja, um romance escrito pelo roteirista Gustavo Malajovich, um arquiteto argentino que, no entanto, encontrou sua paixão na escrita de contos, como Los simuladores (2002-2003), Hermanos y detectives (2006) ou Érase una vez (2017).

O Jardim de Bronze, seu primeiro e até agora único romance, recebeu uma excelente recepção de leitores e críticos. Como o próprio autor contou em uma entrevista, logo uma cópia deste romance chegou aos escritórios da Pol-Ka Producciones, as mesmas pessoas que produziram as duas temporadas de Epitafios com a HBO. Neste caso, diz Malajovich, o livro chegou às mãos do diretor de produção da empresa, Diego Andrasnik, e ele, apaixonado pela trama, enviou-a para a HBO. O resto é história, com prêmios incluídos, entre eles o Telly e as indicações aos prêmios Platino, Tato e Condor de Prata. 

Agora, dois anos depois, novamente em coprodução com a Pol-Ka e com um roteiro, mais uma vez, de Malajovich e seu colega de longa data, Marcos Osorio Vidal, a HBO nos dá, a partir de 9 de junho, oito novos episódios de uma de suas séries latino-americanas mais vistas e reconhecidas.

Volta sim, O Jardim de Bronze, e o que é melhor, volta com aquele personagem cativante interpretado por Luis Luque, o detetive particular César Doberti, que, como se sabe, não conseguiu chegar ao fim daquela primeira temporada. No entanto, nesta segunda temporada, Doberti está de volta, porque a série traz de volta ele e Fabián Danubio (Joaquín Furriel) em algum momento do passado, quando eles foram unidos pelo desaparecimento de Moira (Maite Lanata), a filha de Danúbio. Luque, um ator experiente que fez, durante sua carreira, excelentes papéis de homens sombrios e maus, sendo que deu a seu pesquisador um toque especial que fez o espectador sentir simpatia por ele, mas ao mesmo tempo estar alerta, em suspense sempre em torno de suas pequenas obscuridades.

 

Desta forma, o enredo desta nova história nos leva, a princípio, ao final da reunião entre Moira e Fabián. Ambos vivem, sem dúvida, momentos difíceis. Ela fica arrasada com a agonia que o assassino perverso Iván Rauch (Claudio Tolcachir) a fez passar e ele deve confrontar o fato de que ela não é sua filha biológica.

Nesse processo, Fabián tropeçará novamente com o passado, com Doberti, com um caso em que Doberti de alguma forma lhe deixa como herança: o desaparecimento de Martín Cosme (Alejo Ramírez Borella), um garoto de quinze anos, filho de Daniel Cosme (Pablo Mónaco), líder de uma das mais populares barras bravas do futebol argentino, a do clube Boca Juniors.

 Especialmente importante nesta temporada será o personagem de Andrea Rodríguez (Paola Barrientos), a mãe de Martín Cosme e ex-esposa de Daniel Cosme, a quem ela detesta. Quando Martín desaparece, Andrea iniciará uma viagem desesperada que a levará a César Doberti e depois a Fabián Danubio; ela é, portanto, o elo entre a primeira temporada e esta nova que está prestes a começar.

Durante o enredo, muitas questões surgirão em torno de Martín Cosme, mas a principal vai girar em torno dele e de seu pai. Martin é vítima ou cúmplice do crime de seu pai? Essa é a questão e isso é o que será mostrado.

O Jardim de Bronze, em sua segunda temporada, estará nas telas internacionais de mais de setenta países da América Latina, Estados Unidos, Europa, África e Caribe. Na América Latina, a estreia do primeiro de seus oito episódios, de uma hora cada, será no dia 9 de junho, apenas na HBO e na HBO GO.

  • Copiar Enlace

Assine a HBO

Não fique de fora. Aproveite a programação do momento.

Eu quero HBO!